Obras do cinema do Crato paralisadas há quase dois anos devem ser retomadas em janeiro

FOTO: ANTONIO RODRIGUES

Em 2015, era anunciada a construção de complexos de cinema em dez municípios do interior cearense. O projeto Cinema da Cidade, da Agência Nacional do Cinema (Ancine), prevê a criação de duas salas em cada localidade – uma com capacidade para 100 espectadores e outra para 200. No entanto, passados quatro anos do projeto, vinculado ao programa Cinema Perto de Você, em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado (Secult-CE) e as prefeituras, nenhuma sala foi inaugurada. 

No Ceará, devem ser instalados em Amontada, Aquiraz, Canindé, Cedro, Crateús, Crato, Iguatu, Itaitinga, São Benedito e Tauá. O investimento é de R$ 20 milhões pela Ancine e R$ 12 milhões pelo Estado. Como contrapartida, os municípios cedem os terrenos. Dos dez municípios contemplados com projeto, apenas Crato e Crateús já iniciaram as obras, mas estas foram paralisadas. Na primeira cidade, um impasse ocorre há mais de 2 anos. Orçada em R$ 2.169.524, a ordem de serviço foi assinada em outubro de 2017 e a previsão de entrega era maio de 2018. Hoje, a obra está abandonada. 

A paralisação se deu em março de 2018, após recomendação contrária à construção emitida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), pois o local é próximo à antiga estação ferroviária, no Largo da RFFSA. 

Os técnicos do órgão avaliam que as salas poderiam comprometer a visibilidade de seu conjunto arquitetônico em suas especificidades e características. A princípio, a Secult acatou a sugestão, suspendeu a obra e estudou um novo espaço. Porém, sem alternativas, a construção do complexo no mesmo local foi validada. Com isso, a obra deve avançar, conforme atesta o secretário de Cultura de Crato, Wilton Dedê. 

Ele adiantou que a Secult já pediu os documentos do desmembramento do terreno e uma declaração da distribuidora Enel, que garante a energia elétrica para a funcionalidade das salas. Com isso, as obras devem ser retomadas em janeiro de 2020.                         (Diário do Nordeste)

Fonte: Gazeta Cariri

Comente